Sobre a Revista

A Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis) é editada, desde 2007, pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Trata-se de um periódico interdisciplinar trimestral de acesso aberto, revisado por pares e sem ônus para o autor. Publica textos inéditos, em português, inglês, espanhol ou francês, de interesse para as áreas de comunicação, informação e saúde coletiva. As submissões à Reciis são em fluxo contínuo. Apenas para os textos propostos aos dossiês temáticos, há um período específico para submissão, conforme indicado em Notícias.

Os meses de publicação são: março, junho, setembro e dezembro, com possibilidade de ahead of print.

A Reciis não cobra taxa de processamento de artigo, o que inclui avaliação, edição, publicação, distribuição e acesso dos manuscritos submetidos.

Foco e Escopo

A Reciis privilegia a publicação de textos que se deem nas interfaces entre comunicação e saúde e entre informação e saúde, atendendo às principais temáticas de interesse da revista.
 

Por comunicação e saúde, entende-se, sobretudo, o amplo espectro de investigações sobre as políticas públicas de comunicação em suas relações com a saúde, bem como as de saúde em suas conexões com o direito à comunicação e à informação, as práticas de comunicação no campo da saúde, as mediações culturais e comunicativas nos processos de saúde-doença-cuidado, a comunicação como constitutiva das lutas e desigualdades sociais em saúde, os fenômenos comunicativos em suas relações com os processos de sociabilidade, identidade e subjetivação, as imbricações entre saúde e mídia, considerando seus múltiplos formatos, suportes e contextos, bem como os processos de midiatização da saúde.

Já por informação e saúde, compreende-se temas variados, como, por exemplo, o aprimoramento de metodologias de coleta e análise de dados sobre situações de saúde, considerando suas determinantes socioambientais, o monitoramento e a avaliação de indicadores e políticas de saúde, os estudos sobre a produção científica, a informação e comunicação científicas, as políticas para ciência e tecnologia em suas interações com a saúde, a produção e o manejo da informação científica e tecnológica em saúde, a gestão da informação e do conhecimento em saúde, os sistemas de informação em saúde, os repositórios, os arquivos e as bibliotecas no processo de produção, circulação e apropriação de conhecimento no campo da saúde.

Por fim, a inovação, campo de saber e atuação que também dá título à revista, vem sendo entendida desde 2018 exclusivamente no que diz respeito a inovações em tecnologias de informação e de comunicação no campo da saúde, na formação profissional e no ensino de ciências da saúde.

As seções da revista são constituídas por artigos originais, artigos de revisão, ensaios, entrevistas, editoriais, notas de conjuntura, relatos de experiência e resenhas de livros e de produções audiovisuais que configuram textos com temática livre, em submissões de fluxo contínuo de caráter espontâneo ou a convite dos editores.

Desde 2019, a Reciis adota a prática de publicação de dossiês temáticos que, dentro de uma edição específica e a partir de um tema motivador, reúnem conhecimentos em torno das áreas que a nomeiam, promovendo, assim, o debate e a reflexão de suas práticas de pesquisa.

Atualizado em 30/01/2024

e-ISSN 1981-6278

Temáticas de interesse


  • Análise de materiais educativos, campanhas e estratégias de comunicação e saúde
  • Audiovisual e saúde
  • Comunicação e divulgação científica
  • Comunicação, mediações e práticas socioculturais em saúde
  • Comunicação, informação e saúde como direitos humanos
  • Educação, comunicação e informação em saúde
  • Ética em comunicação, informação e saúde
  • Formação em comunicação, informação e saúde
  • Indicadores de saúde, avaliação e monitoramento de políticas de saúde
  • Informação científica e saúde
  • Inovação em tecnologias de informação, comunicação e saúde
  • Internet e redes sociais em saúde
  • Jornalismo, publicidade e saúde
  • Políticas de comunicação, informação e saúde
  • Políticas e práticas de acesso aberto
  • Processos de midiatização e o campo da saúde
  • Prospecção, estudos métricos de ciência e tecnologia em saúde
  • Saúde e mídia
  • Sistemas de informação, inquéritos e pesquisas de saúde
  • Teorias e metodologias de pesquisa em informação e comunicação em saúde
  • Tecnologias de informação e comunicação em saúde
  • Terminologias, linguagens e sistemas de classificação em saúde

Missão


A Reciis tem como missão contribuir para a circulação do conhecimento acerca das interfaces entre os campos da comunicação, da informação e da saúde coletiva, a fim de estimular o debate científico nessas áreas e procurando, também, subsidiar, analisar e avaliar com qualidade e rigor políticas públicas de informação e comunicação relacionadas à saúde que privilegiem o fortalecimento do Sistema Único de Saúde como projeto democrático e lócus de produção de saberes.

Atualizado em 11/02/2020

Público alvo


Tem-se como público-alvo pesquisadores e entusiastas, nos mais diferentes níveis de formação, nos campos da comunicação, da informação e da saúde coletiva. 

Atualizado em 11/02/2020


Política de seção

A Reciis publica as seguintes seções:

Editorial
Os editoriais são textos, que além de apresentar a edição, devem trazer conteúdo científico com potencial para receber citações e que justifique sua indexação e publicação. Escrito pelos editores da Reciis ou a convite dos editores. Seção indexada.
 
Notas de conjuntura
São contribuições de caráter opinativo ou análise de questões da conjuntura que possam contribuir para o aprofundamento de temas relacionados aos campos da comunicação, informação e saúde. A convite dos editores. Seção indexada. 
 
Artigos originais
São contribuições destinadas a divulgar resultados de pesquisa. Os textos devem apresentar, não necessariamente com estes nomes, introdução, metodologia, discussão e considerações finais. Entre 40 e 60 mil caracteres com espaços. Seção aberta a submissões em fluxo contínuo, indexada e avaliada pelos pares. 
 
Dossiês
Conjunto de quatro a seis artigos originais, relacionado a temas selecionados pelos editores e inserido em uma edição a fim de promover um debate, uma ideia ou um campo, em relação às temáticas de interesse da revista. Entre 40 e 60 mil caracteres com espaços. Seção aberta a submissões em períodos definidos em chamadas públicas. Seção indexada e avaliada pelos pares. 
 
Ensaios
São contribuições de caráter analítico ou propositivo com constructos teóricos levando ao questionamento de modelos existentes e possibilitando hipóteses para pesquisas futuras. Entre 40 e 60 mil caracteres com espaços. Seção aberta a submissões em fluxo contínuo, indexada e avaliada pelos pares.
 
Artigos de revisão
São contribuições destinadas a divulgar tipos de revisão da literatura, como revisão sistemática, revisão integrativa, revisão narrativa e revisão de escopo. Os textos devem apresentar, não necessariamente com estes nomes, introdução, metodologia, discussão e considerações finais. Entre 40 e 60 mil caracteres com espaços. Seção aberta a submissões em fluxo contínuo, indexada e avaliada pelos pares.
 
Relatos de experiência
São contribuições que descrevem, de modo teórico e criticamente fundamentado, uma situação da prática de profissionais ou instituições, sobretudo no que diz respeito a produtos, processos, serviços e sistemas em informação e comunicação em saúde. Os textos devem apresentar, não necessariamente com estes nomes, introdução, apresentação da metodologia empreendida, discussão e considerações finais. Entre 30 e 50 mil caracteres com espaços. Seção aberta a submissões em fluxo contínuo, indexada e avaliada pelos pares.
 
Entrevistas
São contribuições derivadas de entrevistas com autoridades, especialistas ou pesquisadores cuja história de vida ou realizações profissionais sejam relevantes para os campos da comunicação, informação e saúde. A convite dos editores. Seção indexada.
 
Resenhas de livros e produções audiovisuais
São contribuições que apresentam análise crítica de livros ou produções audiovisuais. Seção aberta a submissões em fluxo contínuo e indexada.
 
Atualizado em 12/07/2023

Processo de Avaliação

O processo de avaliação da revista envolve as seguintes etapas:

  1. Desk review: depois de submetido, o texto passa por uma avaliação que consiste em verificar a adequação às áreas temáticas da revista, às regras de autoria, às normas de padronização de manuscritos, aos princípios éticos, aos critérios de originalidade, ao preenchimento correto dos metadados e aos parâmetros básicos da redação científica (linguagem clara, definição de objeto e de objetivos, formulação de problema, fundamentação teórica e abordagem metodológica). Esse processo pode levar em torno de duas semanas. Dele decorrem três respostas possíveis: (i) apto para avaliação por pares, o que significa que o texto está de acordo com as normas exigidas pela revista e seguirá para a próxima etapa de avaliação; (ii) rejeitado com pedido de alterações e ressubmissão, o que significa que não houve cumprimento das Condições para submissão e das Políticas editoriais da Reciis – os autores poderão submeter novamente o texto corrigido, se assim desejarem; e (iii) rejeitado, quando o manuscrito foge ao escopo da revista e/ou fere os critérios de originalidade da revista.

  2. Avaliação por pares: a avaliação por pares é duplo cego. Depois do desk review, os textos são enviados a dois pareceristas ad hoc, especialistas na temática. A avaliação dos pareceristas é uma recomendação para o editor associado designado à condução do processo, que é responsável pela decisão da publicação em conjunto com os editores científicos. Há quatro decisões possíveis: (i) aceito para publicação; (ii) publicação condicionada às modificações; (iii) revisões requeridas sujeitas à reavaliação; e (iv) rejeitado para publicação. Esse processo leva em torno de 24 semanas. Caso o autor não responda às solicitações de reformulação, extrapolando o prazo estabelecido em mensagem enviada por e-mail, correrá o risco de ter o processo arquivado.

  3. Verificação de similaridade: após recebida uma decisão editorial, os textos passam pela verificação de similaridade a partir da utilização da ferramenta Similarity Check, alimentada pelo software iThenticate. Em casos que apresentarem taxas de similaridade acima de 30%, os relatórios de verificação serão encaminhados aos autores para solicitação de esclarecimentos. Identificados casos de má conduta, como plágio e/ou autoplágio, a submissão será arquivada

Concluídas todas as etapas de avaliação, o texto passará por revisão linguística e normalização. Neste momento, os autores serão contactados para última leitura antes da publicação e eventuais esclarecimentos em relação à redação. Caso o autor não responda às solicitações no prazo estipulado, o texto perderá a prioridade na publicação ou ainda poderá ser arquivado, para não comprometer o tempo máximo de cada submissão (em torno de um ano). 

Por fim, o texto entra no processo de diagramação com vistas à publicação eletrônica.

Atualizado em 23/01/2023


Política de tradução

Os editores selecionam textos para tradução com base nos pareceres recebidos e conforme a disponibilidade orçamentária. Aos autores interessados em publicar em idioma estrangeiro, orientamos a submeter o texto no idioma pretendido.

Atualizado em 23/01/2023


Política de pré-publicação

A Reciis não aceita textos completos publicados anteriormente em outro periódico, em anais de evento ou em capítulo de livro. Manuscritos oriundos de teses, dissertações e trabalhos finais de curso devem conter essa informação no campo 'apresentação anterior' na caixa de informação do artigo, presente na Folha de Rosto.

A Reciis considera como autoplágio que inviabiliza a publicação na revista conteúdos que contenham mais de 30% de informações já publicadas em qualquer meio ou formato (à exceção de teses, dissertações e trabalhos finais de curso), sejam elas em forma de texto, gráficos, tabelas etc. Os artigos originais devem obrigatoriamente apresentar resultados e discussão inéditos.

Nos casos em que o autor infrinja esta norma da Reciis, e o texto venha a ser publicado, ao ser constatada a irregularidade, o texto será retirado do corpo da revista e o autor notificado.

Atualizado em 25/07/2023


Política de autoria

  1. Sobre titulação: A Reciis publica textos prioritariamente de doutores ou em coautoria com doutores. Serão aceitos textos de não doutores segundo a avaliação da comissão editorial em relação a originalidade, pertinência e relevância social e científica do estudo para os campos de comunicação, informação e saúde.

  2. Sobre número de autores: Recomenda-se não ultrapassar o número total de cinco autores. Para textos com mais de cinco autores, deve-se apresentar justificativa no campo ‘Comentários ao editor'.

  3. Sobre intervalo de publicação: A Reciis reserva o intervalo de doze meses entre publicações de textos de mesmo autor.

  4. Sobre definição de autoria: Conforme critérios do International Committee of Medical Journals Editors (ICMJE), a autoria deve refletir a contribuição intelectual substantiva para o desenvolvimento do trabalho, isto é, (1) concepção e delineamento do estudo; (2) aquisição, análise e interpretação dos dados do trabalho; (3) redação do manuscrito e revisão crítica de conteúdo intelectual. 

    O detalhamento da contribuição de cada autor deve ser informado no ato de submissão do texto e será publicado junto com o trabalho.

    Todos os autores devem ser responsáveis pela aprovação da versão final a ser publicada e responderão por todos os aspectos legais e científicos relacionados à exatidão ou à integridade do estudo.

  5. Sobre cadastro no sistema: Todos os autores devem estar cadastrados no sistema.

Atualizado em 11/02/2020


Condutas éticas

A Reciis pauta-se pelas normas, princípios e diretrizes éticas expressos no Guia de Integridade em Pesquisa da Fiocruz, que guiam desde a concepção da pesquisa até a sua publicação. Orienta-se igualmente pelas boas práticas na publicação acadêmica, encorajadas por outras organizações tais como o Comitê de Ética em Publicação (COPE - Committee on Publication Ethics), o Comitê Internacional de Periódicos Médicos (ICMJE - International Comitte of Medical Journal) e Conselho de Editores de Ciências (CSE - Council of Science Editors), junto à Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC). 

São considerados caso de má conduta científica: descumprimento das normas relativas às pesquisas envolvendo seres humanos, plágio, falta de transparência quanto a conflito de interesse, falta de honestidade intelectual, entre outros aspectos, quanto a autoria, fabricação de dados, falsificação de dados, publicação redundante. Casos de suspeita de má conduta serão analisados pela equipe editorial segundo os protocolos do COPE. 

Sobre Comitê de Ética em Pesquisa (CEP)

As pesquisas com procedimentos que envolvem seres humanos (entrevistas, questionários, grupos focais, estudos clínicos entre outras formas) precisam de aprovação reconhecida por um comitê de ética.

No ato de submissão, os autores devem enviar como documento a aprovação por um Comitê de Ética reconhecido pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), segundo as normas da Resolução 466/2012 (http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf)do Conselho Nacional de Saúde - CNS ou órgão equivalente no país de origem da pesquisa.

Em caso de não apresentação do parecer de comitê de ética, o manuscrito não será aceito para submissão.

Atualizado em 10/01/2024

Sobre plágio

Plágio é a apresentação de textos alheios, como se fosse de sua autoria. Com o intuito de fazer cumprir as boas práticas em publicação científica e prevenir infração de direitos autorais, os manuscritos recebidos são analisados através da ferramenta Similarity Check, alimentada pelo software iThenticate. Em casos de índices de similaridade que possam comprometer a ética na pesquisa, a equipe irá conduzir segundo os protocolos do COPE.

A Reciis considera como autoplágio que inviabiliza a publicação na revista conteúdos que contenham mais de 30% de informações já publicadas em qualquer meio ou formato (à exceção de teses, dissertações e trabalhos finais de curso), sejam elas em forma de texto, gráficos, tabelas etc. Todos os textos submetidos devem obrigatoriamente apresentar discussões inéditas, no caso de artigos originais e de revisão os resultados também os resultados também devem ser inéditos.

  • Em casos que apresentarem taxas de similaridade acima do indicado no momento da submissão, os autores serão notificados para esclarecimentos.  Identificados casos de má conduta, como plágio e/ou autoplágio, a submissão será arquivada.
  • Ao ser constatada a irregularidade após a publicação do trabalho, o texto sofrerá retratação.

Atualizado em 16/01/2024


Conflito de interesse

Todos os participantes do processo editorial (autores, pareceristas, editores) devem informar a existência de conflitos de interesse de ordem financeira ou relacionamento interpessoal que possa interferir na realização da pesquisa e/ou no julgamento do manuscrito.

Cabe aos

Autores: informar o impacto da instituição financiadora no desenvolvimento teórico-metodológico na pesquisa que baseia o manuscrito, bem como nas discussões e resultados nele apresentados.

Pareceristas: comunicar a identificação da autoria do manuscrito e de alguns tipos de relacionamento pessoal e/ou profissional (atuação no mesmo grupo ou laboratório de pesquisa, vinculação à mesma unidade institucional ou departamento, rivalidade ou competição acadêmica). Ciente disso, caberá ao editor associado encaminhar o manuscrito a outro parecerista.

Editores: comunicar qualquer tipo de conflito de interesse de ordem pessoal ou profissional (cargos ou representação institucionais) e considerar, na seleção dos pareceristas, potenciais problemas éticos.

Em caso de descumprimento da comunicação de conflito de interesse por parte de qualquer um dos participantes no processo editorial e de eventual descoberta, os autores terão seu texto retirado, os pareceristas serão excluídos do banco da revista e os editores deixam de compor o quadro da revista.

 


Políticas de acesso aberto

Direitos dos leitores: Acesso aberto a todos os artigos imediatamente após a publicação.

Direitos de reutilização: A Reciis adota a Licença Creative Commons, CC BY-NC conforme a Política de Acesso Aberto ao Conhecimento da Fundação Oswaldo Cruz. 

Direitos de autor: O autor retém, sem restrições dos direitos sobre sua obra.

Direitos de depósito dos autores/autoarquivamento: Os autores são estimulados a realizarem o depósito em repositórios institucionais da versão publicada com o link do seu artigo na Reciis.

Atualizado em 23/06/2022


Política de dados abertos

A Reciis estimula o depósito dos dados da pesquisa em repositório de dados abertos. Solicitamos que informem a URL de acesso nas informações do artigo no item Dados abertos. 

Para saber mais sobre Dados abertos, acesse aqui o artigo: Dados abertos de pesquisa: ampliando o conceito de acesso livre de autoria de Luís Fernando Sayão e Luana Farias Sales. 

Exemplo de repositório de dados abertos:

Figshare: http://figshare.com/


Políticas para indexação

Adotamos os critérios exigidos pela metodologia Lilacs e pelo SciELO. 

Nas afiliações institucionais adotamos até três níveis hierárquicos.

Nas informações sobre os autores estimulamos uso de canais de acesso a produção científica, como repositório institucional, Google Acadêmico, ResearchGate.

Nas palavras-chave sugerimos o uso do vocabulário controlado DeCS, o tesauro da Ciência da Informação.  


Orientações para elaboração de Dossiês

As propostas de dossiê devem ser encaminhadas ao e-mail reciis@icict.fiocruz.br para avaliação pelos editores científicos. Devem conter a temática do dossiê, seus eixos articuladores com os campos da comunicação, da informação e da saúde, a identificação dos proponentes e se restringuir, no máximo, 1000 palavras. (Consulte na seção Notícias chamadas públicas de dossiês anteriores).

Objetivo

Estrutura

  • obrigatoriamente: o dossiê deve conter entre quatro e seis artigos originais. Recomenda-se, pelo menos, um artigo com autores afiliados à instituição estrangeira. O dossiê deve ser composto também por uma apresentação escrita pelos editores convidados. O texto deve trazer conteúdo científico com potencial para receber citações e que justifique sua indexação e publicação.

Sobre os editores convidados:

O(s) editor(es) convidado(s) para o dossiê deve(m) obrigatoriamente possuir a titulação de doutorado ou, pelo menos, um deles. A Reciis valoriza a diversidade institucional e geográfica dos editores e encoraja a participação de editores estrangeiros.


Tarefas dos editores convidados

  • Propor os eixos articuladores do dossiê aos editores científicos da Reciis;
  • Escrever a chamada pública;
  • Envolver-se na divulgação do dossiê (tanto na preparação quanto no lançamento), com apoio da equipe editorial da Reciis;
  • Convidar autores para submeterem textos ao dossiê. É importante deixar claro aos autores que o convite para submeter um texto não implica a aceitação do manuscrito submetido. Ele será avaliado por pares, conforme a política editorial da Reciis;
  • Avaliar o mérito do texto e a pertinência ao dossiê. Os editores científicos podem sugerir a vinculação de textos do fluxo regular ao dossiê;
  • Realizar a leitura dos textos antes de selecionar pareceristas para o processo de avaliação;
  • Gerenciar o fluxo editorial dentro do sistema de publicação da Reciis, com apoio da equipe editorial da Reciis;
  • Acompanhar as mensagens trocadas pela equipe;
  • Zelar pelo cronograma de produção combinado com a equipe da revista;
  • Garantir a elaboração dos pareceres dos manuscritos, caso o texto não tenha recebido dois pareceres até o prazo para decisão editorial final segundo o cronograma estabelecido pela revista;
  • Escrever a apresentação do dossiê a ser publicada na edição; 
  • Cumprir e zelar pelas políticas editoriais da Reciis, explicitadas no site (Sobre a Revista);

Tarefas da equipe da Reciis

  • basicamente: apoiar os editores convidados nas diversas etapas da preparação do dossiê
  • em especial:
    • editores científicos: na concepção do dossiê, chamada pública e questões de mérito científico e ética na produção e publicação da ciência; no deskreview dos manuscritos submetidos, na decisão final pela publicação;
    • assistente editorial: nas orientações quanto à política editorial da Reciis, no deskreview dos manuscritos submetidos, na orientação a autores, editores e pareceristas quanto ao uso do sistema (acesso, cadastro, envio de nova versão) e nos preparativos para publicação do dossiê;
    • comunicação social: na concepção, realização e divulgação de peças de divulgação das chamadas, do lançamento e dos artigos publicados;
    • editor executivo: no planejamento da publicação, no gerenciamento das etapas de preparação do texto (copidesque, prova de autor, diagramação, publicação);
    • coordenadora editorial: no gerenciamento das atividades, na orientação a equipe.

 


Tempo estimado de produção: sete a nove meses.

Chamada aberta: entre 60 e 80 dias.

Decisão editorial final: cerca de 100 dias (em avaliação por pares: 70 dias).

Preparação da publicação: cerca de 45 dias.

 

Atualizado em 29/02/2024