https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/issue/feed Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde 2023-06-30T17:14:25-03:00 Elisa Silveira reciis@icict.fiocruz.br Open Journal Systems <p>A Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis) é editada, desde 2007, pelo <a href="http://www.icict.fiocruz.br/">Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict)</a> da <a href="http://portal.fiocruz.br/">Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)</a></p> <p>Trata-se de um periódico interdisciplinar trimestral de acesso aberto, revisado por pares e sem ônus para o autor. Publica textos inéditos, em português, inglês, espanhol ou francês, de interesse para as áreas de comunicação, informação e saúde coletiva. As submissões à Reciis são em fluxo contínuo. Apenas para os textos propostos aos dossiês temáticos, há um período específico para submissão, conforme indicado em Notícias. Os meses de publicação são: março, junho, setembro e dezembro.</p> <p>A Reciis não cobra taxa de processamento de artigo, o que inclui avaliação, edição, publicação, distribuição e acesso dos manuscritos submetidos.</p> <p><em>Atualizado em 25/01/2023</em></p> <p><strong>e-ISSN 1981-6278</strong></p> https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3854 O estudo dos arquivos nas interfaces entre comunicação, história e saúde 2023-06-27T09:53:28-03:00 Igor Sacramento igor.sacramento@icict.fiocruz.br Luciana Heymann luciana.heymann@fiocruz.br Ana Paula Goulart Ribeiro goulartap@gmail.com <p>--</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Igor Sacramento, Luciana Heymann, Ana Paula Goulart Ribeiro https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3328 Nutrição em rede: um relato de experiência de lives produzidas por um Grupo de Educação Tutorial durante a pandemia de covid-19 2022-12-14T11:31:40-03:00 Ayla Machado de Paula aylamachadop@gmail.com Thayzis de Paula Silva thayzis_jf6@hotmail.com Aline Silva de Aguiar alineaguiar@id.uff.br <p>Devido às complexidades do período de pandemia de covid-19, houve um aumento do acesso às redes sociais para a busca de informações científicas. Este trabalho visa apresentar as adaptações de uma atividade de ensino, através de relato de experiência, promovido pelo Grupo de Educação Tutorial (GET) do Curso de Nutrição da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Foram ciclos de palestras com atualizações científicas e vivência prática, utilizando a rede social Instagram em formato de <em>lives</em>, sendo o conteúdo transmitido como entrevista, em dois blocos, totalizando seis <em>lives </em>com aproximadamente 55 minutos cada. O público interagiu com o palestrante, ao expressar opinião e encaminhar dúvidas através do recurso de comentários. Houve sucesso na participação dos alunos, fato confirmado pelo número de visualizações, uma vez que o total foi superior quando comparado às edições presenciais. A internet viabilizou encontros de pessoas, mesmo distantes, possibilitando o acesso a profissionais de outras cidades e transmitindo informações através da rede social.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3601 Os arquivos no centro das questões de identidade, imediatismo e memória 2023-04-11T15:49:07-03:00 Agnès Magnien agnes.magnien@culture.gouv.fr <p>Os arquivos estão no centro de práticas e políticas contraditórias: por um lado, produção massiva, recolha imediata, exploração instantânea e publicação aberta; por outro lado, esquecimento, destruição ou negligência, e acesso fechado. O artigo ilustra essas contradições comparando, em primeiro lugar, três iniciativas de recolha de arquivos que permitiram e permitem recuperar o lugar do ‘invisível’ nas nossas sociedades, contra duas operações mais coletivas na sequência da tragédia francesa de 13 de Novembro de 2015 e dos períodos de confinamento. Depois da recolha, colocam-se questões relacionadas com as tensões geradas pela produção digital: como gerir o fluxo contínuo, a exigência de imediatismo, o recuo da presença humana? Finalmente, num contexto em que coexistem políticas públicas de memória e medidas regulamentares destinadas a proteger o segredo de defesa e o direito ao esquecimento, como podem arquivistas e historiadores trabalhar em conjunto para garantir que esta memória possa ser restituída aos cidadãos?</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Agnès Magnien https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3581 Patrimônio e memória de interesse público em tempos de pandemia: um estudo sobre a comunicação de memórias e histórias da covid-19 em narrativas digitais 2023-04-10T12:46:45-03:00 Luciana de Almeida Cunha luu.a.cunha@gmail.com Franceli Guaraldo franceli.guaraldo@online.uscs.edu.br Priscila Ferreira Perazzo prisperazzo2@gmail.com <p>A pandemia da covid-19 gerou aumento de repositórios de dados digitais que registram a memória das pessoas sobre a pandemia, originando diversas comunidades virtuais que promovem a produção de memórias por meio do envio de relatos de histórias de vida em diversas mídias. Com base num estudo exploratório de natureza documental, este trabalho apresenta um levantamento amplo e significativo de plataformas digitais provenientes de diversas ações e instituições universitárias, culturais e de meios de comunicação e associações da sociedade civil que lançaram repositórios digitais para coletar e compartilhar relatos sobre as experiências das pessoas durante a pandemia de covid-19. A análise e a comparação dos registros memoriais existentes em tais repositórios indicam a importância de relatos de histórias de vida integrados às narrativas visuais compostas por fotografias e vídeos para a construção de uma rede de memórias mais inclusiva da pandemia de covid-19, ou seja, uma rede pautada nas vivências de diversos públicos e/ou comunidades, constituindo-se como memória de interesse público e contribuindo para a construção de um patrimônio cultural desse contexto. Os resultados também indicam a importância das novas tecnologias como meios de comunicação e informação desses dados de interesse público, com destaque para as narrativas transmídia, presentes em algumas das plataformas analisadas, como formas narrativas contemporâneas que possibilitam a participação ativa e o engajamento de públicos diversos.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Luciana de Almeida Cunha, Franceli Guaraldo, Priscila Ferreira Perazzo https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3611 O lampejo dos rastros nos intervalos da montagem: notas metodológicas sobre a incursão em arquivos da febre amarela e gripe espanhola 2023-05-05T11:47:04-03:00 Marcela Barbosa Lins marcela.lins@gmail.com Ângela Cristina Salgueiro Marques angelasalgueiro@gmail.com <p>No presente artigo, tecemos reflexões e apresentamos conceitos que têm orientado uma pesquisa nos registros de arquivos sobre a febre amarela e a gripe espanhola, nos acervos da Fundação Oswaldo Cruz, da Biblioteca Nacional e do Arquivo Nacional. A pesquisa é centrada na busca dos rastros e das ruínas desses eventos epidêmicos, mediante o método da montagem e com a perspectiva do limiar. Buscamos, por meio dessas materialidades, criar intervalos, experimentar e tecer brechas que prefiguram outros possíveis. Defendemos que, ao manejar, por meio da fabulação crítica, as formas como uma epidemia se faz aparecer, habilitamos a elaboração de uma imaginação política capaz de conferir ao futuro outras possibilidades e outros agenciamentos que não sejam a catástrofe e a melancolia.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Marcela Barbosa Lins, Ângela Cristina Salgueiro Marques https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3613 Lembrar e esquecer a respeito do povo Yanomami: a experiência de um arquivo digital marcado pelo testemunho jornalístico 2023-05-18T12:53:05-03:00 Andrea Cristiana Santos andcsantos@uneb.br Jônatas Pereira do Nascimento Rosa jonataspereiradonascimento@gmail.com <p>Este artigo analisa a produção da jornalista Eliane Brum como uma operação de memória, na qual a repórter seleciona o que deve ser lembrado a respeito dos impactos da pandemia de covid-19 e das violações ao direito à saúde do povo Yanomami. Foi realizada uma pesquisa qualitativa e feito um estudo de caso instrumental, a partir do corpus analítico de textos jornalísticos publicados no site El País Brasil e na plataforma Sumaúma. A narrativa jornalística disseminada se constitui em uma experiência de arquivo digital, no qual o registro histórico midiático se relaciona com a dialética da memória e do esquecimento, a partir do testemunho presente nos atos de enunciação. O artigo problematizou os limites de uma deontologia jornalística aliada a uma ética do cuidar ao narrar e viabilizar o acesso às imagens dos corpos de povos indígenas, no contexto de compartilhamento de informações sobre comunicação e saúde.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Andrea Cristiana Santos, Jônatas Pereira do Nascimento Rosa https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3830 Arquivo marginal e suas trajetórias subalternas em manicômios e nas prisões 2023-06-12T14:23:02-03:00 Viviane Trindade Borges vivianetborges@gmail.com <p>Em entrevista à Reciis, Viviane Trindade Borges conta sobre sua trajetória acadêmica norteada pelas práticas, histórias de vida e experiências em instituições de internamento/confinamento – como manicômios,<br />leprosários e prisões – que ela estuda por meio de arquivos nelas encontrados. Para a pesquisadora, os documentos provenientes desses lugares “de sequestro”, como se refere Foucault a essas instituições, dizem respeito a memórias não reivindicadas e a eventos controversos marcados por traumas e violações de direitos humanos. Em suas pesquisas, a historiadora traz à tona trajetórias obscuras, anônimas e trágicas de sujeitos colocados à margem, ao descaso e levados ao esquecimento. Na entrevista, a cientista ressalta a exigência de um posicionamento ético na recuperação de histórias reveladas em arquivos marginais, de modo que não se limite à estigmatização e/ou à exotização; comenta sobre o seu entendimento do conceito de arquivo marginal e a importância da comunicação histórica que permite ativar memórias, interagir e elaborar visões sobre o passado que ainda reverberam no presente. Viviane Trindade Borges é Professora Associada da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Viviane Trindade Borges https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3265 Condutas não profissionais no uso das mídias sociais por estudantes da área da saúde: revisão integrativa da literatura 2022-07-07T18:04:08-03:00 Thainanda da Silva Pinheiro thainandap.silva@gmail.com Kelly Cristina dos Santos Ramos kellycristina140708@gmail.com Rayane Fontenele Victor rayfontevictor.rf@gmail.com Vanessa Luisa Destro Fidêncio vanessa.destrof@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é revelar o comportamento nas mídias sociais de estudantes de cursos de graduação na área da saúde do ponto de vista da ética profissional. Realizou-se uma revisão integrativa da literatura com base na pergunta norteadora: “Há condutas não profissionais na produção de conteúdo nas mídias sociais por estudantes da área da saúde?”. Foram encontrados 495 estudos nas bases de dados pesquisadas. Destes, dez atenderam aos critérios de inclusão. Os estudos incluídos haviam sido feitos com estudantes dos cursos de enfermagem, medicina e odontologia. Todos demonstraram sua má conduta nas mídias sociais em algum momento. Há mais relatos de visualizações de condutas antiprofissionais nos perfis de outros colegas do que autorrelatos quanto a esse aspecto. Conclui-se que é evidente a má conduta, nas mídias sociais, de estudantes de enfermagem, medicina e odontologia.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3759 Quando falta o ar, um convite para conhecer o SUS 2023-05-04T09:36:58-03:00 Daniela Muzi daniela.muzi@icict.fiocruz.br <p>Esta resenha analisa o filme Quando falta o ar, de Ana Petta e Helena Petta (Brasil, 2021). O documentário mostra o trabalho diário de trabalhadoras e trabalhadores do sistema público de saúde brasileiro durante a pandemia de covid-19. Com foco no cuidado e revelando a face humana da luta coletiva, o filme evidencia a interseção entre saúde, religiosidade, desigualdade e racismo estrutural em várias regiões do país, ao mesmo tempo em que se articula, na forma e conteúdo, com os princípios doutrinários do Sistema Único de Saúde (SUS): universalidade, equidade e integralidade. Ao chegar às telas de cinema e às plataformas de streaming, o documentário cumpre um importante papel de comunicação sobre o SUS, presente em todos os 5.570 municípios do país e do qual mais de 160 milhões de pessoas dependem exclusivamente para ter acesso a serviços de saúde.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Daniela Muzi https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3862 Expediente v. 17, n. 2 2023-06-30T15:07:31-03:00 Reciis . reciis@icict.fiocruz.br <p>--</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Reciis . https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3842 Inteligência artificial e saúde: ressituar o problema 2023-06-19T12:45:42-03:00 Fernanda Bruno bruno.fernanda@gmail.com Paula Cardoso Pereira paula.cpereira@gmail.com Paulo Faltay pfaltay@gmail.com <p>Diante dos avanços recentes da inteligência artificial, a presente nota de conjuntura busca recolocar questões fundamentais que emergem nesse contexto. Deslocando-se tanto das leituras salvacionistas quanto apocalípticas, argumentamos que a perda do privilégio do excepcionalismo humano pode ser uma oportunidade para repensar a inteligência a partir de uma perspectiva relacional e co-produzida entre humanos e outros-que-humanos. Tal perspectiva, no entanto, deve ser acompanhada de um olhar atento às relações de poder que em grande medida definem os destinos da IA. Sobre esse aspecto, apontamos as implicações do modelo epistêmico e de negócios hegemônico da IA, um modelo preditivo aceleracionista dominado por grandes empresas de tecnologia. Finalmente, destacamos alguns riscos envolvidos na inclusão de máquinas inteligentes no campo da saúde, bem como os perigos da subordinação de valores e direitos públicos a interesses comerciais, o que demanda uma atenção e um cuidado coletivos e permanentes na construção dos arranjos sociotécnicos e políticos de implementação da IA nesse campo.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Fernanda Bruno, Paula Cardoso Pereira, Paulo Faltay https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3829 Estrutura e identidade de uma revista científica 2023-06-12T14:10:04-03:00 Christovam Barcellos christovam.barcellos@fiocruz.br Kizi Mendonça de Araújo kizi.araujo@icict.fiocruz.br Igor Sacramento igor.sacramento@icict.fiocruz.br <p>--</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Christovam Barcellos, Kizi Mendonça de Araújo, Igor Sacramento https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3513 Desordens informativas: análise de pronunciamentos de Jair Bolsonaro contra a vacinação de covid-19 2023-01-09T11:35:36-03:00 Alice Agnes Spíndola Mota aliceagnes@uft.edu.br Sidiany Mendes Pimentel sidianymp@uft.edu.br Albertina Vieira de Melo Gomes Oliveira albertina.oliveira@uft.edu.br <p>Baseando-se nos conceitos de “desordens informativas” propostos por Claire Wardle e Hossein Derakhshan, este trabalho propõe-se a observar o fenômeno de hesitação vacinal e a opinião pública em relação à vacina CoronaVac contra a covid-19, a partir da análise de falas públicas do presidente Jair Bolsonaro sobre esse imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a biofarmacêutica chinesa Sinovac. As falas em questão foram proferidas no período de julho de 2020 a janeiro de 2021. Através de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com finalidades exploratórias e descritivas, o trabalho analisou o conteúdo de dez pronunciamentos do então presidente sobre as vacinas no contexto do primeiro ano da pandemia de covid-19 no Brasil e observou desordens informativas dos seguintes tipos: má informação (17,6%), informação incorreta (47,1%) e desinformação (35,3%) em todas as falas. As desordens informativas propagadas contribuíram para os sentimentos de desconfiança e as posturas coletivas de hesitação vacinal relacionadas à covid-19, principalmente em relação à CoronaVac.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Alice Agnes Spíndola Mota, Sidiany Mendes Pimentel, Albertina Vieira de Melo Gomes Oliveira https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3228 Ciência e comunicação: a presença de instituições brasileiras no YouTube 2022-10-26T10:29:23-03:00 Eveline Stella de Araujo evelinetornado@gmail.com Arielly Cristina de Moura Grande Benato ariellygrande@gmail.com <p class="western" align="justify">No Brasil, somou-se à infodemia um processo de negacionismo e descrédito das ciências pelo espalhamento de fake news on-line, agravando as consequências da covid-19. A hipótese desse artigo é que as estratégias de Search Engine Optimization (SEO) e de web semântica podem melhorar significativamente a construção da presença digital de canais institucionais de ciência no Brasil, no combate às fake news. O objetivo é descrever e analisar dois canais institucionais no YouTube de produção pública da ciência. Para tal, foi utilizado o método quanti-quali, com métricas do Social Blade, observação direta e aplicação de questionário. Nos resultados, constatou-se a preferência por vídeos de curta duração, com diferenças substanciais no estilo artístico e narrativo. Os conteúdos geraram conversações e reações externas à academia, devido a circulação em outras redes sociais digitais. Conclui-se que o aprimoramento das técnicas de otimização nos dois canais, a partir da utilização de hashtags apropriadas e títulos mais atrativos ampliou o público final.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3545 Expansão da telessaúde na Atenção Primária à Saúde e as desigualdades regionais no Brasil 2023-01-09T16:49:38-03:00 Tais Ivastcheschen Taques taisivastcheschen@gmail.com Estela Baldani Pinto estela.baldani@gmail.com Karyn Lemes Romanowski karomanowski@hotmail.com Rafael Gomes Ditterich prof.rafaelgd@gmail.com Erildo Vicente Muller erildomuller@hotmail.com Manoelito Ferreira Silva Junior manoelito.junior@uesb.edu.br <p>O objetivo do estudo foi analisar a expansão da telessaúde na Atenção Primária à Saúde (APS) no Brasil e comparar as regiões geográficas. Estudo de série histórica com dados secundários da Avaliação Externa do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) obtidos a partir dos módulos I e II do 1º (2012), do 2º (2014) e do 3º (2018) ciclos. Os equipamentos de Tecnologia da Informação e o uso da telessaúde foram associados aos ciclos e às regiões geográficas pelo teste quiquadrado ajustados pelo teste z de Bonferroni, e a comparação entre a média de equipamentos foi realizada pelo teste Kruskal-Wallis (p&lt;0,05). Houve expansão no uso da telessaúde pelas Equipes de Atenção Básica (eAB) entre 2012 (12,7%), 2014 (27,7%) e 2018 (54,6%) (p&lt;0,001). Houve aumento da média de todos equipamentos disponíveis para as eAB (p&lt;0,001). Apesar do aumento na disponibilidade de equipamentos e do uso da telessaúde entre os ciclos e as regiões geográficas, as disparidades regionais se mantiveram, com as piores proporções no Norte e no Nordeste.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Tais Ivastcheschen Taques, Estela Baldani Pinto, Karyn Lemes Romanowski, Rafael Gomes Ditterich, Erildo Vicente Muller, Manoelito Ferreira Silva Junior https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3285 Mortalidade por câncer de mama em mulheres idosas no Brasil e nas grandes regiões: uso do SISAP-Idoso 2022-08-30T15:26:16-03:00 Dalia Elena Romero Montilla dalia.fiocruz@gmail.com Cristina Montero Arizaleta cristina.m.arizaleta@gmail.com Nathalia Andrade de Souza nathy--a@live.com Yrneh Yadamis Prado Palacios yrneh90@hotmail.com Vinícius de Souza Silva Carvalho vinicius.sscarvalho@gmail.com <p dir="ltr">A idade avançada é um dos fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de mama. O objetivo deste estudo é apresentar a situação epidemiológica e o acesso ao diagnóstico do câncer de mama entre idosas nas regiões do Brasil. O estudo é descritivo e compreende o período entre 2000 a 2019. Analisam-se indicadores de mortalidade, morbidade e acesso ao diagnóstico. A qualidade da informação da mortalidade foi analisada pelo indicador ‘óbitos com causa básica mal definida’. Segundo os resultados, a maioria dos óbitos foi prematura. As regiões Sul e Sudeste tiveram as maiores taxas de mortalidade por câncer de mama. Nas regiões Norte e Nordeste, há maior subnotificação de óbitos devido à qualidade das informações sobre mortalidade. Conclui-se que as idosas devem ser consideradas nas ações e nos programas sobre câncer de mama e que se deve aumentar o acesso ao diagnóstico das idosas.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/3442 Traumatismos dentários na rede social Instagram: um estudo exploratório 2022-12-15T16:09:14-03:00 Amanda Isabela Firmino Gomes amandasbl0@gmail.com Milena Ribeiro Gomes milenaribeiro9821@gmail.com Juliana Vilela Bastos julianavb7@yahoo.com.br Maria Inês Barreiros Senna mariainessenna@gmail.com <p>Estudo exploratório realizado entre 14/02/2021 e 06/03/2021, visando mapear e caracterizar os perfis sobre traumatismos dentários no Instagram, analisar as publicações quanto ao teor e à qualidade do conteúdo, como também examinar a interação e a prática comunicativa. Foram incluídos 25 perfis que apresentavam baixa audiência e pequena atividade, considerando-se o número de seguidores, a frequência de atualização e o número de publicações. Dezoito perfis eram brasileiros e estavam vinculados a projetos de extensão de Instituições de Ensino Superior (IES). Realizou-se a análise de 13 <em>posts</em> dos três perfis ativos, e verificou-se que eles estavam em conformidade com os protocolos da Associação Internacional de Traumatologia Dentária. As práticas comunicativas eram informacionais não se configurando como espaços de aprendizagem colaborativa. Redes sociais <em>on-line</em> constituem-se atualmente em estratégias importantes para a divulgação científica e a participação cidadã, mas os limites e os desafios do seu uso devem ser levados em conta no planejamento das ações de comunicação institucional em saúde pública.</p> 2023-06-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Amanda Isabela Firmino Gomes, Milena Ribeiro Gomes, Juliana Vilela Bastos, Maria Inês Barreiros Senna