Comunicação terapêutica: desafios para o diálogo em uma organização hospitalar brasileira

Luíza Mônica Assis Silva, Vânia Mara Vasques Balbino de Souza

Resumo


Este artigo fundamenta-se nos princípios da comunicação terapêutica, do psiquiatra Jürgen Ruesch, aliados aos processos da comunicação organizacional, com vistas ao estudo e à implementação de uma comunicação específica para as organizações de saúde. A pesquisa, de caráter qualitativo, foi realizada na unidade de Onco-Hematologia Pediátrica de um hospital infantil público terciário do Distrito Federal, entre 25 de setembro e 6 de novembro de 2015, por meio de entrevistas em profundidade, aplicadas em dois grupos – profissionais da saúde e mães das crianças hospitalizadas – com o objetivo de verificar que pressupostos da comunicação terapêutica eram aplicados no tratamento das crianças e por quais categorias profissionais. Foram observados comportamentos comunicacionais conscientes, com potencial terapêutico, indicando a possibilidade de estabelecimento de um modelo comunicacional que atenda às especificidades das organizações de saúde.


Palavras-chave


Comunicação terapêutica; Comunicação organizacional integrada; Hospital; Comunicação e saúde; Jürgen Ruesch.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v12i2.1372

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil