O retrato da epidemia de meningite em 1971 e 1974 nos jornais O Globo e Folha de S.Paulo

Catarina Menezes Schneider, Michele Tavares, Christina Musse

Resumo


Este artigo apresenta um recorte analítico acerca da cobertura dos jornais Folha de S.Paulo e O Globo sobre a epidemia de meningite que eclodiu em 1971, e atingiu seu ápice em 1974. Essa epidemia surge na época em que o Brasil vivia sob o regime ditatorial e se encontrava no pior período, conhecido como “anos de chumbo” (1968- 1972). Do ponto de vista teórico, desenvolvemos uma discussão sobre a evolução dos conceitos de “saúde”, “doença” e “epidemias”, além de fazer um breve histórico da epidemia de meningite na época. A partir da análise dos jornais, verifica-se como a doença foi comunicada e também se observa como no início ela quase não era divulgada, tendo um salto do número de publicações e uma grande exposição pelos meios de comunicação a partir de 1974.


Palavras-chave


Folha de S.Paulo; O Globo; Jornalismo; Ditadura; Epidemia; Meningite; Silenciamentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v9i4.995

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil