Percepção do risco de transmissão de zoonoses em um Centro de Referência

Ana Cristina da Costa Martins, João Arriscado Nunes, Sandro Javier Bedoya Pacheco, Cláudia Tereza Vieira de Sousa

Resumo


Questões relacionadas às condições sociais, econômicas, culturais e ambientais têm contribuído para a expansão da leishmaniose e esporotricose. Pretendeu-se identificar a percepção de risco de transmissão dessas doenças e os fatores que influenciam no processo de adoecimento. Foram entrevistados 27 pacientes (sete com leishmaniose e vinte com esporotricose). A maioria não identificou algum tipo de risco específico de transmissão e nomeou como fator principal a contaminação ambiental Ações de promoção de saúde devem estar integradas com outras abordagens que levem em conta a participação dos indivíduos, particularidades sociais, culturais, geográficas e políticas.


Palavras-chave


Leishmaniose Tegumentar Americana; Esporotricose; Percepção de risco; Promoção da saúde; Determinantes Sociais da Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v9i3.985

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil