Biossegurança: abordagem cognitiva essencial para o biólogo

Cristiane Martins Ribeiro, Telma Abdalla de Oliveira Cardoso

Resumo


 As incertezas e os riscos das doenças infecciosas vivenciados pela sociedade atual colocam à prova os sistemas de saúde, alterando o quadro sanitário internacional das populações. Para o avanço da integralidade da atenção à saúde são necessárias ações interdisciplinares para a compreensão dos problemas. Objetiva-se, aqui, mostrar a importância dos biólogos na saúde, discutir os riscos a que estão sujeitos, a importância da biossegurança no controle/prevenção desses riscos e a inserção do tema na graduação. Argumenta-se que os programas de educação em saúde promovem o conhecimento técnico-científico como único conhecimento válido sobre saúde, discordante de uma proposta interdisciplinar. É necessária, aos programas de educação, a formulação conceitual transdisciplinar para o desenvolvimento de conhecimentos contextualizados, que contribuirão para formar profissionais capazes de atuarem em contextos de risco. Espera-se contribuir para a reflexão da relevância da biossegurança na formação do biólogo, bem como para o desenvolvimento educacional comprometido com a construção de uma sociedade sustentável.


Palavras-chave


Educação; Risco; Biologia; Exposição a agentes biológicos; Biossegurança

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v9i2.946

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil