Necessidades, práticas e apoio social: dimensões subjetivas dos determinantes sociais de saúde

Deise Lisboa Riquinho, Tatiana Engel Gerhardt

Resumo


O papel do indivíduo frente às desigualdades sociais e de saúde não se dá passivamente; existem estratégias, muitas vezes desconhecidas pelos serviços de saúde, que motivam a busca de cuidados. Acredita-se que os grupos sociais estabelecem relações de apoio, configurando redes sociais, as quais definem práticas terapêuticas e colaboraram no enfrentamento de situações cotidianas. Assim, o objetivo desta pesquisa é o de conhecer e compreender as necessidades em saúde, as práticas terapêuticas e o apoio social na comunidade de Rincão dos Maia, Canguçu, RS, tendo como pano de fundo as desigualdades sociais. Para tanto, utilizou-se uma metodologia quanti-qualitativa, por meio de formulário, entrevista semi-estruturada, observação participante e diário de campo. Ao considerar que as necessidades de saúde são heterogêneas, as práticas empreendidas para satisfazê-las corresponderam a diferentes estratégias como mobilização de recursos por meio de apoio social das práticas terapêuticas adotadas. A aproximação destas dinâmicas levará à compreensão das necessidades de saúde, incorporando as realidades locais, com vistas a contribuir para a formulação de políticas públicas descentralizadas que dêem conta das demandas dos cidadãos.

Palavras-chave


apoio social; desigualdade social; população rural; saúde pública; pobreza

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v2i2.861

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil