Difusão de conhecimento e lendas urbanas: o caso das internações devidas às condições de saneamento

Christovam Barcellos

Resumo


A afirmação de que no Brasil “68% das internações são devidas à falta de saneamento” encontra-se difundida em páginas da internet. O peso das doenças relacionadas com a água na internação está claramente superestimado. Se consideradas somente as doenças de veiculação hídrica, esta proporção cai para 4,8%. Através de buscas na internet foram localizadas 204 páginas de organizações e instituições de defesa do meio ambiente, associações profissionais, universidades e centros de pesquisa que citam essa afirmação. Os padrões de difusão de informações falsas caracterizam esta como mais uma lenda urbana entre as que prejudicam o estabelecimento de prioridades. Como as políticas públicas são estabelecidas a partir de uma acumulação de conhecimento, a difusão de informações em relatórios, trabalhos científicos e textos na internet podem representar o anseio de grupos de pressão em alterar prioridades do setor saneamento.

Palavras-chave


internações; doenças de veiculação hídrica; saneamento; comunicação de riscos; informação em saúde

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v2i2.846

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil