A cultura dos números: as origens e o desenvolvimento da estatística na ciência

Benoît Benoît

Resumo


A ciência da mensuração se tornou uma “indústria”. Em primeiro lugar, quando, como e porque a ciência veio a ser mensurada? Como uma atividade “cultural” – ciência – há muito conhecida como não acessível à estatística, vem a ser mensurada? A estatística deve a sua existência ao contexto de tempo: 1) mensurando a contribuição de grandes homens, entre eles cientistas da civilização, e melhorando as condições sociais de cientistas; conseqüentemente, 2) a política da ciência e a eficiência de investimentos em pesquisa. Antes dos anos 1920, eram os próprios cientistas que faziam as mensurações da ciência. As estatísticas coletadas relativas a homens da ciência ou cientistas, sua demografia e geografia, sua produtividade e desempenho eram usados para promover o que era chamado de avanço da ciência. Nos anos 1940 e posteriormente, o tipo de estatística coletada mudou completamente. Não eram mais os cientistas que as coletavam e sim os governos e agências de estatísticas. As estatísticas mais apreciadas, a partir de então, eram o dinheiro dedicado à pesquisa e desenvolvimento.

Palavras-chave


História, estatística, ciência, tecnologia e inovação, pesquisa e desenvolvimento, P&D

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v2i1.825

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil