“Nada mais natural que amamentar” - Discursos contemporâneos sobre aleitamento materno no Brasil

Irene Rocha Kalil, Maria Conceição da Costa

Resumo


Este trabalho apresenta uma reflexão teórica acerca dos discursos expressos nos materiais de orientação sobre aleitamento materno desenvolvidos pelo Ministério da Saúde brasileiro na última década, sobretudo as campanhas publicitárias da Semana Mundial da Amamentação (SMAM), com o objetivo principal de identificar os sentidos da amamentação neles privilegiados ou silenciados. Por meio do resgate histórico de concepções sociais sobre aleitamento materno surgidas nas sociedades ocidentais a partir do século XVIII, quando tem início o movimento a que Foucault (1985) chamou de “poder sobre a vida”, e passando pelo movimento médico higienista, fortemente presente em nosso país na virada do século XIX para o XX, é possível perceber que os discursos contemporâneos oficiais que abordam a amamentação guardam significativas aproximações com aqueles dirigidos ao que Costa (1999)
nomeou de “mãe higiênica”, que definiam a mulher como responsável pelo crescimento saudável dos jovens cidadãos, garantindo, assim, o futuro da nação. Os materiais de orientação atuais reproduzem, em geral, um modelo desenvolvimentista da comunicação, no qual a informação deve ser transmitida por meio de um processo linear, verticalizado e
unidirecional (ARAÚJO, 2004), e permanecem pautados, basicamente, em uma visão instrumental do papel da mulher-mãe na sociedade.


Palavras-chave: Discursos; campanhas; amamentação; higienismo; mães.


Palavras-chave


Discursos; campanhas; amamentação; higienismo; mães

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v6i4.730

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil