Desenvolvimento e governação local: cidadania dimensões para a saúde

M. Cristina Torres Andrade

Resumo


O artigo apresenta uma reflexão sobre a construção da saúde pública a partir de diferentes aspectos, concluindo a necessidade ética, econômica, cultural e ecológica implica a existência de cidadãos e não os consumidores de saúde, repensado sistemas e mecanismos de participação e organização a participação do usuário no sector da saúde. Capital, empoderamento, auto-cuidado e auto-gestão, dimensão mais territorial e desenvolvimento local, com a governação, ética do cuidado e redes são temas em que toma eclectically esta reflexão. Desenvolver redes de cuidados de saúde envolve sinergias através de instrumentos de coordenação sem hierarquia (heterarquia) entre os nós da rede, guiado pelas exigências decorrentes do território. Reivindicações territoriais pesquisadas exigir combinando aspectos econômicos, culturais e ambientais, tornando as políticas econômicas conjuntas com as políticas sociais. A noção de rede propõe uma re-interpretação da relação entre Estado e sociedade, porque a demanda auto-organização e auto-regulação nas instituições e organizações regionais, com o intercâmbio de recursos vinculados à experiência dos atores e recursos políticos, relacionada com a posição atores do sistema político.

Palavras-chave


Desenvolvimento local; A participação dos cidadãos; Ética; Organizações de saúde; Igualdade na saúde.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v6i4.707

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil