Saúde aos domingos: uma análise da cobertura da pesquisa em medicina & saúde no Fantástico

Luisa Massarani, Catarina Chagas, Marina Ramalho, Gabriela Reznik

Resumo


Neste artigo, analisamos a cobertura dada a temas de pesquisa em saúde e medicina pelo programa dominical Fantástico ao longo de 12 meses, utilizando como referencial teórico a construção de enquadramento (frame) mediático, associando análise quantitativa de conteúdo e abordagem qualitativa. Observamos que o programa deu grande destaque à área, tendo como enquadramentos principais “nova pesquisa” e “personalização” – em sintonia com seu objetivo de informar e entreter – e oferecendo recomendações sobre saúde aos telespectadores em mais de 70% das notícias analisadas. Os cientistas ganharam papel destacado entre as fontes, sendo citados na maioria das matérias, expressando a legitimidade dada pelo programa para este ator social. A visão de saúde expressa pelo programa é ampla e leva em consideração fatores sociais, econômicos, culturais e comportamentais. Porém, a seleção de pautas nem sempre corresponde aos principais problemas de saúde pública enfrentados pelo país.


Palavras-chave: Pesquisa em saúde: Saúde na mídia; TV; Fantástico; frames; Análise de conteúdo.


Palavras-chave


Pesquisa em saúde: Saúde na mídia; TV; Fantástico; frames; Análise de conteúdo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v7i1.702

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil