Saúde e Gestão Democrática: uma análise crítica sobre os Conselhos de Saúde

Richelly Barbosa de Medeiros

Resumo


Neste artigo pretendemos estruturar uma reflexão acerca de algumas das contradições inerentes ao processo constitutivo dos espaços institucionais de controle social na política de saúde, identificando as contra-argumentações que permeiam o discurso da participação na contemporaneidade. Para tanto, ressaltamos as mudanças políticas pautadas no ideário de redemocratização, nas décadas de 1970-1980, que ampliaram as bases do conceito de cidadania, entendendo-a, também, como proteção e controle social. Da mesma forma, temos como análise as mudanças de caráter neoliberal e suas conseqüências no desmonte das políticas públicas e na consolidação dos desafios impostos à gestão democrática das mesmas.

Palavras-chave


seguridade social; sistema único de saúde; movimentos sociais; participação; controle social

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v4i2.684

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil