Saúde, doença, ciência e tecnologia: as concepções de profissionais do jornal baiano A tarde

Márcia Cristina Rocha Costa

Resumo


 Este artigo faz uma reflexão sobre as concepções de saúde, doença, ciência e tecnologia de jornalistas do jornal baiano A Tarde, que atuaram numa seção destinada à divulgação científica. A análise aponta a predominância do modelo exógeno na cobertura de saúde feita pelos profissionais, no qual há uma relação de exterioridade da pessoa com a sua doença. A saúde como ausência de doença prevalece nas concepções dos jornalistas e nos textos. Por outro lado, há o conflito entre a visão de ciência e tecnologia (C&T) dos jornalistas e a linha editorial, que prioriza a cobertura de temas de saúde em detrimento de outros campos do saber. Verifica-se o problema da mitologia dos resultados observado por Cascais (2010, on line) em consonância com a imagem otimista da ciência e tecnologia reconhecida pelos jornalistas entrevistados. A abordagem dos textos exclui os conflitos e incertezas inerentes aos processos da ciência, sem estímulo ao debate público sobre o uso da ciência e da tecnologia e seu impacto na vida do cidadão


Palavras-chave


Saúde e doença; Ciência e tecnologia; Jornalismo científico; Divulgação científica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v6i4.624

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil