Mediações da informação em Saúde Pública: um estudo sobre a dengue

Edlaine Faria de Moura Villela, Marco Antonio de Almeida

Resumo


O risco surge como conceito quando o futuro passa a ser passível de previsão, justificando revisão contínua de comportamentos a partir de novas informações geradas. A questão do risco e prevenção de doenças aparece com clareza em um caso concreto como a dengue, o que permite um gancho interessante para discutir o papel da mídia, a qual influencia atitudes e formação da opinião de acordo com estratégias de divulgação de informações. O objetivo do trabalho é conhecer o imaginário social da populacão sobre conhecimentos importantes da dengue por meio da construção de discursos, trazendo subsídios para pensar relações entre saúde pública e divulgação da informação para os cidadãos. O método utilizado foi o Discurso do Sujeito Coletivo, caracterizado pela tabulação de dados qualitativos, pela aplicação de questionários no município
de Ribeirão Preto, SP. O DSC tem como base a Teoria das Representações Sociais, que capta o imaginário social sobre um tema. Para analisar e contextualizar os dados, foram feitas referências a teorias acerca da reflexividade, do risco e da Sociedade da Informação. Salienta-se a importância dos mediadores para que haja bom desempenho da mediação de informações de qualidade sobre saúde, e sobre dengue especificamente.

Informações sobre o artigo

Recebido em: 17/04/2011         Aceito em: 23/03/2012


Palavras-chave


Comunicação em Saúde; mediação da informação; Representações Sociais; medição de risco; discurso do sujeito coletivo

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v6i1.606

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil