Comer com os olhos: discursos televisivos e produção de sentidos na promoção da saúde nutricional de adolescentes

Giane Moliari Amaral Serra, Inesita Soares de Araujo, Elizabeth Moreira dos Santos

Resumo


O artigo objetiva apresentar a metodologia e alguns resultados de uma tese de doutorado que buscou compreender os processos vividos pelos jovens no que concerne à saúde. A pesquisa envolveu dois grupos de jovens de configuração sócio-econômica contrastante, um com 10 moradores do bairro Rocinha e outro com alunos do ensino médio do Colégio Andrews, instituição particular da zona sul do Rio de Janeiro. Dimensionou-se a participação dos discursos midiáticos na formação dos sentidos sobre saúde entre os jovens, tomando o caso
particular da novela Malhação e enfocando os temas práticas alimentares e corpo. A análise foi conduzida em dois eixos, contrapostos e interrelacionados: um contemplou os episódios de Malhação, analisando os discursos dos protagonistas; outro buscou identificar sentidos atribuídos pelos jovens às práticas alimentares e às concepções de estética corporal. Presidida
pela perspectiva da produção social dos sentidos, teve como principais conceitos teóricometodológicos polifonia (Bahktin), poder simbólico (Bourdieu), mercado simbólico, comunidade discursiva e contexto (Araújo). A principal conclusão aponta para uma participação dos discursos midiáticos nos sentidos formados entre os jovens, independentemente dos seus contextos de vida, com circularidade entre as comunidades discursivas relevante em suas vidas.


Palavras-chave


comunicação e saúde, saúde e mídia, práticas alimentares, corpo e adolescente

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, R. M. B. A sexualidade, o adolescente e o mundo teleficcional: malhação em

destaque. UNIrevista, v. 1, n. 3, p. 1-11, jul. 2006.

ANDRADE, R. G.; PEREIRA, R. A.; SICHIERI, R. Food intake in overweight and normal-weight

adolescents in the city of Rio de Janeiro. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 5, p. 1485-

, set./out. 2003.

ARAÚJO, I. S. Mercado Simbólico: interlocução, luta, poder – um modelo de comunicação para

políticas públicas, 2002. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de

Comunicação, Rio de Janeiro, 2002.

ARAÚJO, I. S. Cartografia da comunicação. In: LEFÉVRE, F.; LEFÉVRE, A. M. C., IGNARRA, R.

M. (Org.). O conhecimento de intersecção: uma nova proposta para as relações entre a

academia e a sociedade. São Paulo: USP/Instituto de Pesquisa do discurso do sujeito coletivo,

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 6 ed. São Paulo: Editora Hucitec, 1992.

p.196.

BARBERO, J. M. Dos meios às mediaões: comunicação, cultura e hegemonia. 2 ed. Rio de

Janeiro: Editora UFRJ, 2003. p. 396.

BOURDIEU, P. O Poder Simbólico. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,1998. p. 322.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1997. p. 223.

COGO, D. M; SILVA, D. T; SOUZA, C.C; KIPPER, C. A pesquisa em Sapucaia do Sul. In: COGO,

D. M, GOMES, P. G., (Org.) Porto Alegre: Editora Unisinos, 1998. p. 63-145.

FISCHER, R. M. B. Mídia e educação: em cena, modos de existência jovem. Educar, 2005.

p.17-38.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1996. p.

GOMÉZ, O. G. La audiência frente a la pantalla. Dialogos de la comunicacion, n. 30, 1991.

IBGE. comunicação social. Disponível em:

.

Acesso em: 8 set. 2010.

LOPES, M. I. V.; BORELLI, S. H. S.; RESENDE, V. R. Recepção de telenovela: uma exploração

metodológica. São Paulo: FAPESP, 2002. (Relatório de Pesquisa).

LOPES, M. I. V. Narrativas televisivas y comunidades nacionales: el caso de la telenovela

brasileña. Comunicación y Sociedad, p. 71-97. 2004.

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Editora SENAC, 2005. p. 245.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. 2.a ed. Campinas:

Pontes/Unicamp, 1993. p. 198.

MATSUDO, S. M. M. Atividade Física, saúde e nutrição. Revista Saúde em Foco, n.18, p. 68-72.

MIDIATIVA – CENTRO BRASILEIRO DE MÍDIA PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Organização

não- governamental. Identidades cruzadas e juventude de Marlucio Luna. Disponível em:

iva.org.br/index.php/educadores/content/view/full/1100> Acesso em: 8 set. 2005.

PARIZI, M. R.; TASSARA, V. Obesidade e outros distúrbios alimentares. In: ENCICLOPÉDIA da

Saúde. São Paulo: MEDSI, 2002. n. 2, p. 279- 293.

PINTO, M. J. Comunicação e Discurso. São Paulo: Hacker Editores, 1999. p. 123.

SERRA, G. M. A. Saúde e nutrição na adolescência: o discurso sobre dietas na revista capricho.

Dissertação (Mestrado)- Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública

Sérgio Arouca, Rio de Janeiro, 2001.

SILVA, L. M. A Globalização dos fast food e economia do tempo. Revista Sociedade e Estado,

n.9, p. 1-12. 1994.

UNICEF – FUNDO DAS NAÇÔES UNIDAS PARA A INFÂNCIA. A voz dos adolescentes.

Washington,DC, 2002.

VERÓN, E. A produção de sentido. São Paulo: Cultrix/Edusp, 1980. p. 240.




DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v6i4.586

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil