Longitudinalidade do cuidado diante da rotatividade de profissionais na Estratégia Saúde da Família

Miriam Suzi Paro Giovani, Camila Mugnai Vieira

Resumo


A Estratégia Saúde da Família (ESF) tem alcançado resultados expressivos enquanto proposta de reordenação das práticas de saúde nas comunidades. Ao mesmo tempo apresenta alguns problemas, entre os quais a rotatividade de profissionais, considerada um dos aspectos críticos para o sucesso do modelo, pois pode comprometer a efetividade do trabalho, prejudicando a qualidade da assistência e a satisfação dos usuários, que dependem do vínculo entre os profissionais da equipe e a população. Esta pesquisa teve por objetivo estudar possibilidades de promoção da continuidade do cuidado diante da rotatividade de profissionais na ESF. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre continuidade do cuidado e rotatividade de profissionais utilizando doze publicações selecionadas na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS); Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde (BVS MS); Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Os resultados apontaram que é necessário adotar algumas medidas que valorizem o trabalhador da ESF, dando-lhe condições adequadas de emprego, inserindo-os como protagonistas nos processos de trabalho e não meramente executores de tarefas. É essencial que haja o desenvolvimento de mudanças na formação dos profissionais, na qualificação permanente e nos vínculos dos trabalhadores com o sistema.


Palavras-chave


Instituições de Saúde; Recursos humanos em Saúde; Programa Saúde da

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v7i4.572

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil