Enxergar as Fragilidades para Desenvolver as Potencialidades: A educação permanente orienta profissionais de saúde no atendimento da população na contingência do dengue

Christiane Leal Corrêa, Carlos Barbosa, Arlindo Serpa Filho

Resumo


Mesmo com a quantidade de informações disponíveis, as pessoas continuam sofrendo com o dengue. O objetivo deste trabalho foi efetuar uma avaliação participativa com profissionais, eleger tutores do dengue e implantar um núcleo de educação permanente, visando auxiliar na contingência do dengue numa Unidade Básica de Saúde na cidade do Rio de Janeiro. Fizeram parte do estudo 60 profissionais de saúde que prestam atendimento diretamente à população vulnerável. Os discursos dos sujeitos evidenciam o papel social que eles têm nas relações com a comunidade, formando um elo entre o profissional, o serviço de saúde e a população atendida. Verificamos que essa concepção possibilita uma mudança no cuidado à saúde das pessoas, família e comunidade, passando a ser um cuidado mais voltado para as ações de vigilância à saúde, o que leva à integralidade no cuidado do paciente. Os profissionais passam a entender o lugar da prática na configuração de novos saberes. Concluímos que a educaçãopermanente é uma necessidade fundamental para os profissionais que atuam nesta área. Iniciativas de capacitação da equipe de saúde podem contribuir para detectar pontos conceituais significativos que ainda precisam de atenção para favorecer a melhoria na contingência de doenças que atingem a população brasileira.

 


Palavras-chave


Dengue; Educação Permanente; Profissionais de Saúde; SUS; Unidade Básica de Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v7i3.530

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil