A Rede de Teleassistência de Minas Gerais e suas contribuições para atingir os princípios de universalidade, equidade e integralidade do SUS - relato de experiência.

Milena Soriano Marcolino, Maria Beatriz Moreira Alkmim, Tati Guerra Pezzini Assis, Daniel Moore Freitas Palhares, Geisa Andressa Correia da Silva, Lemuel Rodrigues Cunha, Lidiane Sousa, Monica Pena de Abreu, Renato Minelli Figueira, Antonio Luiz Ribeiro

Resumo


No Brasil, há desigualdade no acesso a serviços de saúde especializados, principalmente em municípios remotos. A telessaúde surgiu como estratégia para fornecer suporte aos profissionais de saúde da Atenção Primária desses municípios. O objetivo deste estudo é relatar a experiência exitosa da Rede de Teleassistência de Minas Gerais (RTMG), ressaltando como o serviço contribui para atingir os princípios doutrinários do SUS. A metodologia é relato da experiência, estudo observacional retrospectivo com relação à avaliação das teleconsultorias e avaliação de custo-efetividade. Em 2005, recursos públicos do governo do estado e de agências de fomento à pesquisa financiaram a criação da RTMG, com o objetivo de conectar hospitais de seis universidades públicas à Atenção Primária de municípios remotos. Em 2006, 82 municípios eram atendidos. Várias expansões foram realizadas e, desde 2012, o serviço atende 660 municípios. Até fevereiro de 2013, 1.165.410 eletrocardiogramas e 48.680 teleconsultorias foram realizados (média de 6,1 atividades/município/semana). As teleconsultorias evitaram potenciais encaminhamentos em 80%. O Retorno sobre Investimento foi de R$ 3,75 para cada R$ investido. Concluindo a RTMG colabora para se atingir no sistema público de saúde de Minas Gerais os pressupostos de universalidade, equidade e integralidade, além de contribuir com a melhora da qualidade do cuidado.

Informações do artigo

 

Recebido: 14.03.2013

Aceite: 10.06.2013



Palavras-chave


Telemedicina; Atenção Primária à Saúde; Gestão em Saúde; Informática em saúde pública; Tecnologia da Informação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v7i2.480

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil