Discurso antivacina no YouTube: a mediação de influenciadores

Antonio Marcos Pereira Brotas, Márcia Cristina Rocha Costa, Junia Ortiz, Caio Costa Santos, Luisa Massarani

Resumo


Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa sobre o discurso antivacina em 14 vídeos mais relevantes no YouTube exibidos em 2018 e 2019, considerando a quantidade de visualizações, likes, dislikes e comentários. O estudo identifica argumentos e sentidos construídos pelos mediadores, a partir da perspectiva natural, que associa a vacina à ideia de veneno, riscos e morte; e da perspectiva política, que aciona liberdades individuais e planos de poder para redução populacional e lucro da big pharma. Na interseção entre as duas perspectivas, aspectos religiosos compõem a moldura dos discursos. A análise qualitativa e quantitativa aponta a necessidade de investir em estratégias de comunicação que esclareçam e desconstruam as informações falsas ou distorcidas disseminadas. Também sinaliza a importância de diálogo com um público descrente com instituições políticas, científicas e midiáticas, em que a ameaça de punição pela lei não é obstáculo para recusa ou hesitação vacinal.

Palavras-chave


Desinformação; Antivacina; Discurso; YouTube; Influenciadores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v15i1.2281

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil