Registros médicos de pacientes: la digitalización ya no es una opción y debe ser una obligación

Marcelo D'Agostino, Felipe Mejia Medina, Myrna C. Marti, Sebastian Garcia Saiso

Resumo


Os prontuários médicos foram se transformando desde ser exclusivamente em papel para ser, em muitos casos, exclusivamente digitais. Essa mudança tem acontecido gradativamente: inicialmente isolada do sistema local ou nacional de informação em saúde e depois em processo de integração ou já totalmente interligada a todo o sistema. Isso graças ao acesso da sociedade a sistemas eletrônicos que podem se comunicar e trocar dados de forma ágil e tecnologicamente interoperável. No entanto, ainda existem grandes desafis para atingir essa interoperabilidade, bem como o estabelecimento da segurança, privacidade e confiencialidade dos dados; entretanto, os prontuários em formato digital são hoje uma ferramenta poderosa e indispensável para a tomada de decisões, a formulação de políticas e a gestão adequada da saúde pública.


Palavras-chave


Alfabetização digital; Prontuários médicos; História clinica do paciente; Confiencialidade; Informação.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i3.2137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil