A poluição na Baía de Guanabara e a emergência da pauta ambiental no jornal O Globo

Michel Misse Filho, Raquel Paiva

Resumo


Este artigo busca apresentar de que formas e sob quais circunstâncias a Baía de Guanabara pôde emergir como importante pauta jornalística ambiental. Analisando matérias do jornal O Globo entre as décadas de 1940 e 1970, período crucial para se entender a poluição daquele ambiente, identifiamos a transformação de um referencial idílico da baía para a representação de um lugar de perigo. Nesse sentido, exploramos a importância que a saúde humana adquire para que esta pauta ambiental atingisse um alto patamar de noticialização, semelhantes aos níveis atuais. Refltimos, ainda, sobre as maneiras pelas quais a pauta ambiental pode ser construída, longe de síndromes comuns a esta especialidade jornalística, mas associada a marcos teóricos importantes do campo, como a imprescindibilidade do ativismo ecológico e a necessidade de ampliação do enfoque noticioso e abarcamento de conhecimentos de povos tradicionais.


Palavras-chave


Jornalismo ambiental; Baía de Guanabara; Poluição das praias; Comunicação; Meio ambiente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i2.2024

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil