O discurso das fake news e sua implicação comunicacional na política e na ciência

Afonso Albuquerque

Resumo


Uma das grandes preocupações de Afonso de Albuquerque relacionada à pesquisa é questionar a apropriação de modelos norte-americanos e do ocidente europeu por outros países, principalmente pelo Brasil, para com isso propor modelos alternativos a essa conduta. Em entrevista à Reciis, o pesquisador discute como a incorporação desses modelos estrangeiros impacta a mídia, o jornalismo, a política e os estudos acadêmicos brasileiros. Alguns desses movimentos de apropriação, denominados ‘reformas’, serviram como base para escamotear ações autoritárias entre governos. O professor relaciona esta questão com o fenômeno das fake news, que se refere a um discurso de reivindicação de monopólio da verdade em um contexto de deslegitimação das instituições, no qual, cada vez mais, se adotam comportamentos autoritários. Sob a perspectiva da democracia, ao se pensar o discurso das fake news, feito pelas agências de fact checking, pela mídia e por corporações de pesquisadores, vê-se que ele se soma aos ataques contemporâneos às instituições. Afonso de Albuquerque é professor titular do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense.


Palavras-chave


Comunicação, Jornalismo, Fake news, Política, Democracia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i1.2016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil