Territórios do cuidar: comunicação e memória nas medicinas dos povos tradicionais afro-brasileiros

Adriana de Holanda Cavalcanti

Resumo


O presente artigo aborda a cultura e a medicina dos povos tradicionais afro-brasileiros como determinantes sociais da saúde em diferentes grupos étnicos, suas relações existentes com processos comunicativos e a efetivação de políticas públicas, especialmente a denominada Política Nacional de Práticas Integrativas em Saúde e Complementares no Sistema Único de Saúde, assim como o campo da educação patrimonial em saúde. A partir das análises de narrativas do projeto na área de comunicação e saúde por meio das linguagens das artes, realizado na Fundação Oswaldo Cruz entre 2004 e 2008, em articulação com as questões da tese de doutorado sobre as memórias da diversidade sociocultural dos povos tradicionais em suas artes de cura na Jurema Sagrada, em desenvolvimento na Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, este texto indica pontos importantes acerca dos processos de comunicação na educação em saúde mediante o mapeamento dos territórios do saber como estratégias de memórias e resistências de grupos étnicos.


Palavras-chave


Educação em saúde; Educação patrimonial; Memória; Comunicação; Jurema Sagrada.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i3.1885

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil