Do corpo do sodomita à resistência pública do prazer: um itinerário para o estudo da pegação masculina nas cidades

Anselmo Clemente, Claudia Malinverni

Resumo


A pegação masculina em espaços públicos da cidade é um fenômeno plural, rico em experiências instauradoras de práticas e modos de ocupar o mundo dissidentes da heteronorma. Não por acaso, foi submetido a muitos registros de infâmia. Dos antigos crimes jurídico-religiosos de sodomia forjados na Europa, que colonizaram, inclusive, os prazeres nas Américas, até sua inscrição patológico-criminal apoiada pela ciência do século XIX, a pegação tornou-se um atentado ao pudor, uma afronta à moral pública. Contudo, as fiuras anônimas homoeróticas que circulam oscilantes pela urbe, instauradoras de territórios de prazer em meio ao espaço público, nos ajudam a entender, através de seus rastros, muitas vezes captados pelos aparelhos de poder, justamente suas histórias de repressão.

Palavras-chave


Pegação masculina; Espaço público; Regimes de infâmia; Resistência; Subjetividade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1876

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil