“Cantos e saberes”: processo de construção de um documentário sobre plantas medicinais

Juliana Alves Starosta, Mônica de Caldas Rosa dos Anjos

Resumo


As práticas integrativas e complementares buscam espaço em um contexto pautado na visão biologicista da saúde. Neste sentido, os saberes tradicionais e populares têm sido silenciados, sendo seu potencial promotor de saúde reduzido às práticas individuais, reprimidas pelo sistema que provê o cuidado à saúde. Este artigo tem por objetivo a descrição do processo de construção do documentário Cantos e Saberes, com mulheres, sobre saberes e práticas populares do uso de plantas medicinais. O gênero documentário promove comunicação intercultural capaz de trazer o conhecimento carregado de subjetividades e impressões. A montagem do documentário é pautada na análise do discurso das personagens, aprimorando a compreensão sobre a problemática do silenciamento dos seus saberes. Além disso, o produto deste trabalho funciona como propagador dos conhecimentos reunidos por meio das entrevistas, multiplicando as informações para diversas esferas, incluindo, neste caso, pesquisadores, profisionais e comunidades, proporcionando o diálogo entre os saberes.

Palavras-chave


Análise do discurso; Terapias complementares; Promoção da saúde; Ciência nas artes; Atenção primária à saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1748

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil