Avaliação da implementação da Política Nacional de Saúde Integral à população LGBT em um município da região Sudeste do Brasil

Nilo Plantiko Guimarães, Rafaela Lirio Sotero, João Paulo Cola, Suzana Antonio, Heletícia Scabelo Galavote

Resumo


A população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), por não se encaixar nos padrões heteronormativos, recebe um tratamento pejorativo e excludente, o que limita o acesso aos serviços de saúde. Este estudo tem como objetivos avaliar a implementação da Política Nacional de Saúde Integral à População LGBT (PNAIPLGBT) na atenção básica de saúde e compreender o conhecimento de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família acerca da diversidade sexual e da homofobia. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório e de natureza qualitativa. Os participantes relatam ausência ou limitação de conhecimento sobre a PNAIPLGBT. Assim, a falta de conhecimento sobre o público LGBT e o despreparo dos profisionais de saúde para acolher o público em questão resultam na restrição do acesso da população LGBT aos serviços de saúde, o que afeta diretamente na realização da Política Nacional de Atenção Integral à População LGBT.


Palavras-chave


Enfermagem em saúde comunitária; Minorias sexuais e de gênero; Sexualidade; Políticas públicas; Atenção primária à saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i2.1712

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil