Conceito e modelos de 'knowledge translation' na área de saúde

Martha Silvia Martinez-Silveira, Cícera Henrique da Silva, Josué Laguardia

Resumo


O uso dos resultados da pesquisa e do conhecimento bem como a aplicação das descobertas científias no mundo real não ocorrem de forma natural. Instituições acadêmicas e governos têm defiido que a translação da pesquisa é uma prioridade para a saúde: as evidências científias devem embasar as decisões para melhorar a saúde. Porém, a lacuna entre ciência e prática, os entraves naturais e criados entre elas mostram que a translação do conhecimento é um processo que precisa ser implementado. As formas de fazê-lo requerem atitudes do meio acadêmico e do ambiente político e de gestão, algo complexo e de difícil solução. Este artigo busca compreender o tema por meio da leitura de autores da área de saúde. Detémse com especial atenção na conceituação e nos modelos disponíveis, além de analisar como se dá essa passagem de evidências entre o campo da ciência e os responsáveis pelas tomadas de decisão e como estas são utilizadas.

Palavras-chave


Transferência de conhecimento; Acesso à informação; Translação do conhecimento; Ciência; Aplicação de descobertas científicas; Decisões em saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1677

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil