Violência, vulnerabilidade e direitos humanos

Gizlene Neder

Resumo


Esta nota de conjuntura propõe uma reflexão sobre as políticas de segurança pública, a violência urbana e a questão criminal na atualidade como um efeito de continuidade e permanências culturais de longa duração da Inquisição e da Escravidão. Presentes na sociedade brasileira desde a colonização portuguesa, a inquisitorialidade e o autoritarismo nas relações sociais se apresentam na ordem republicana brasileira, caracterizada como autoritária, oligárquica e excludente. Apresenta os meios de comunicação como promotores da ideia de existência de um ‘caos’ aparentemente inevitável, dando margem a imposição de ações repressivas como ‘única’ saída, e que, as estratégias alternativas possíveis e não autoritárias ainda não possuem força política suficiente para se imporem.


Palavras-chave


Segurança pública; Inquisição; Medo; Autoritarismo; Exclusão social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v12i4.1669

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil