Corpos e percepções de um tempo que passa: reflexões sobre gênero e movimentos do tempo em Sou Mais Eu, Junior e Men’s Health Portugal

Felipe Viero Kolinski Machado, Juliana Soares Gonçalves

Resumo


A partir das revistas Sou Mais Eu, Junior e Men’s Health Portugal, segmentadas, respectivamente aos públicos feminino e de classe popular, gay e masculino heterossexual, e com base em discussões relativas ao gênero, aos movimentos do tempo e à sexualidade, o presente artigo propõe uma reflexão acerca dos sentidos então acionados sobre a relação entre os corpos e a passagem do tempo. Ainda que o corpo que se insere nos padrões estabelecidos de beleza seja relevante para Sou Mais Eu, de modo geral, as vivências cotidianas e os desafios narrados pelas leitoras parecem ser mais estruturantes, em Junior e em Men’s Health Portugal, o envelhecimento (ou o não envelhecimento, mais propriamente falando) são compreendidos a partir de uma lógica que insere o corpo como essencial naquilo que se refere ao acesso a uma posição dominante. Ser jovem, aí, representa um elemento central no que tange à aquisição de uma posição hegemônica de masculinidade.


Palavras-chave


Gênero; Movimentos do tempo; Sexualidade; Narrativas; Revista.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v12i2.1476

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil