Análise de Redes Sociais e de Complexidade: Uma Estratégia para Aprimoramento de Sistemas Éticos para a Ciência Aberta?

Jorge Henrique Cabral Fernandes, Wagner de Jesus Martins, Ricardo Barros Sampaio

Resumo


As expressões de conhecimento aberto, englobadas em seu maior nível pela ciência aberta (open science), pressupõem abertura das barreiras aos relacionamentos estabelecidos entre as partes que desejam produzir conhecimento, desde que solucionados aspectos da ética e da confiança, com o objetivo de promover a cidadania. Ética, confiança e cidadania são questões complexas e multifacetadas, cujas respostas são tratadas de forma diferente em diferentes domínios do conhecimento, tais como em saúde e em ecologia. Na ecologia a construção da ciência aberta tem se mostrado muito bem sucedida, enquanto que no campo da saúde ainda são dados os passos iniciais. Esse artigo explora as possíveis diferenças no tratamento da primeira dessas questões, a ética, comparando-a nas ciências da ecologia e da saúde. O debate abre espaço para postulados sobre as possibilidades e barreiras à construção da ciência aberta em saúde, por meio de estudos de análise de redes sociais e de complexidade.


Palavras-chave


Complexidade; Análise de Redes Sociais; Ética; Ciência Aberta.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v11i0.1384

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil