‘Valor-saúde’: critérios epidemiológicos potenciais para a comunicação e saúde

Aline Guio Cavaca, Paulo Roberto Vasconcellos-Silva, Tatiana Breder Emerich, Edson Theodoro dos Santos-Neto, Adauto Emmerich Oliveira

Resumo


O estudo objetiva desenvolver critérios de prioridades potenciais para comunicação e saúde (‘valor-saúde’), a partir da análise de políticas de saúde e de dados de morbimortalidade do Espírito Santo (ES, Brasil). Foi realizada uma pesquisa documental a partir de dados de 2011 e 2012. Tais dados foram coletados em documentos sobre prioridades políticas estaduais e nos sistemas de informação em saúde, e hierarquizados segundo critério decrescente de causas de mortalidade, morbidade e notificação, além da coincidência da doença em mais de uma política selecionada. O ‘valor-saúde’ evidencia condições mórbidas idealmente prioritárias na pauta midiática do ES: doenças isquêmicas do coração, cerebrovasculares, pneumonia, neoplasias, tuberculose, hanseníase, esquistossomose e dengue. Ele destaca a persistência de doenças relacionadas às condições sociossanitárias precárias, além de sífilis em gestantes, Aids, diabetes e coqueluche. Dessa maneira, o ‘valor-saúde’ atua como critério relevante de publicização e midiatização de problemas públicos, a fim de pautar debates na sociedade


Palavras-chave


comunicação e saúde; indicadores de morbimortalidade; saúde pública; meios de comunicação de massa; epidemiologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v12i1.1296

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil