Arquivos visuais relacionados ao vírus Zika: imagens no Instagram como parte da constituição de uma memória da epidemia

Michele Nacif Antunes, Wedencley Alves, Fabio Gomes Goveia, Adauto Emmerich Oliveira, Janine Miranda Cardoso

Resumo


Este artigo baseia-se em um estudo que teve como objetivo analisar as imagens que despertam maior interesse e maior número de compartilhamentos por parte dos internautas a partir do dispositivo em rede Instagram sobre a epidemia de Zika. O recorte temporal abrange novembro e dezembro de 2015, ou seja, os dois meses posteriores à revelação por pesquisadores e autoridades médicas de que a infecção pelo vírus Zika poderia estar associada a casos de microcefalia diagnosticados em recém-nascidos. No estudo, recorremos ao ImageCloud, um aplicativo desenvolvido pelo Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura, da Universidade Federal do Espírito Santo e que permite visualizar uma grande quantidade de imagens em bases de dados, como, por exemplo, nas redes sociais. A análise foi encaminhada a partir dos pressupostos teóricos da análise do discurso.


Palavras-chave


epidemia; Zika; imagem; redes sociais; Instagram; análise do discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v10i3.1175

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil