Qualidade do cuidado em saúde e a iniciativa “Choosing Wisely”

Josué Laguardia, Monica Silva Martins, Isabela Ribeiro Simões de Castro, Guilherme Brauner Barcellos

Resumo


A partir de uma campanha conduzida pela Fundação American Board of Internal Medicine (ABIM), teve início em 2011 a Iniciativa Choosing Wisely, quando várias associações norte-americanas de distintas especialidades médicas apresentaram listas de procedimentos utilizados de maneira excessiva e, consequentemente, inapropriada. Neste artigo, buscou-se destacar as relações entre a qualidade do cuidado, a variação injustificada na oferta de procedimentos e as iniciativas para redução da sobreutilização desses procedimentos. Além de uma metodologia adequada, alguns critérios devem ser levados em conta para se avaliar se o uso de determinados procedimentos é, ou não, recomendável. Entre os principais, encontram-se: a transparência e a participação de um grupo mais amplo de profissionais, incluindo diversas especialidades; a seleção de procedimentos de modo a evitar os que têm utilidade cientificamente questionável no tocante à melhora da saúde, além de custos impactantes, desproporcionais aos possíveis benefícios, para os serviços de saúde; a possibilidade de medir e avaliar esses procedimentos; ausência de conflito de interesses ou corporativismos.


Palavras-chave


Sobreutilização; Utilização inadequada; Cuidado centrado no paciente; Iniciativas relacionadas à saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v10i1.1097

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil