A mídia em meio às ‘emergências’ do vírus Zika: questões para o campo da comunicação e saúde

Raquel Aguiar, Inesita Soares Araujo

Resumo


Típico caso de um vírus emergente, o Zika havia circulado de forma restrita quando chegou ao Brasil, onde acabaria por se tornar parte de uma emergência em saúde pública e um tema com fortíssima presença nos meios de comunicação em 2015. Este artigo baseia-se em um trabalho realizado no contexto do Observatório Saúde na Mídia, no qual traçamos uma linha do tempo com os principais pontos da escalada de atenção sobre o vírus Zika na mídia brasileira em 2015, incluindo a cobertura midiática e os anúncios oficiais. Confrontamos essa linha do tempo com uma análise de capas de nove jornais impressos publicados nos meses de novembro e dezembro de 2015, período em que o Ministério da Saúde admitiu a possível correlação do vírus com o aumento de casos de microcefalia no país. Enfocamos referências a medo e risco e propusemos algumas reflexões sobre a relação entre a comunicação e a saúde.


Palavras-chave


Comunicação e Saúde; Imprensa; Vírus Zika; Epidemias

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v10i1.1088

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil