Necessidades de saúde e direito à comunicação em tempos de midiatização

Tatiana Breder Emerich, Aline Guio Cavaca, Victor Gentilli, Adauto Emmerich

Resumo


A contemporaneidade é marcada por uma sociedade midiatizada, na qual a mídia exerce influência sobre todas as instâncias sociais, abrangendo a saúde. Nesse cenário, incluem-se interesses, instituições e atores como partes integrantes do processo de engendramento das notícias. Sendo assim, a partir das interlocuções entre o campo da comunicação e saúde (CeS) e o campo da saúde coletiva, entende-se que o direito à comunicação é indissociável do direito à saúde e, por isso, a divulgação midiática das necessidades de saúde deveria corresponder às principais demandas populacionais inerentes a um território. Nesse sentido, este artigo objetiva discutir a (não) divulgação midiática das necessidades de saúde e refletir sobre o direito à comunicação como um direito social fundamental ao pleno exercício da cidadania e garantia do direito à saúde, no contexto de uma sociedade midiatizada.


Palavras-chave


comunicação em saúde; meios de comunicação de massa; saúde pública; Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v10i4.1065

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil