Mortalidade infantil por causas evitáveis na Bahia, 2000-2012

Lívia Teixeira Tavares, Tatiane Falcão dos Santos Albergaria, Marina de Aguiar Pires Guimarães, Rhaine Borges Santos Pedreira, Elzo Pereira Pinto Junior

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar as causas e taxas de mortes evitáveis em crianças com menos de um ano de idade na Bahia no período de 2000 a 2012. Para isso, realizou-se um estudo ecológico de série temporal. Foram considerados os óbitos de crianças da faixa em questão, cujas mães residiam na Bahia naquele período. A classificação de evitabilidade dos óbitos seguiu a Lista brasileira de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde. Os dados foram extraídos dos sistemas de informação em saúde (Sistema de Informação sobre Mortalidade, Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos). Apesar das reduções não só da taxa de mortalidade infantil geral como daquela por causas evitáveis no período estudado, ainda persistem altas proporções dessa última em menores de um ano de idade na Bahia. Destacaram-se a diminuição das taxas de mortalidade reduzíveis por adequada assistência ao recém-nascido e o aumento das taxas de mortalidade reduzíveis por adequada atenção à mulher na gestação. Concluiu-se que a abordagem da evitabilidade é um potente avaliador da resolutividade dos serviços de saúde prestados à saúde materno-infantil.


Palavras-chave


Mortalidade Infantil; Sistema de Informação; Causas de Morte; Morte evitável; Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v10i3.1044

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil