Inteligência avaliativa em rede: construindo consenso em Avaliação de Tecnologias em Saúde

Tazio Vanni, Airton Tetelbom Stein, Kathiaja Miranda Souza, Marina Gonçalves de Freitas, Isadora Patterson, Eduardo Coura Assis, Marcia Luz da Motta, Luciana Leão, Rodrigo Costa Oliveira, Flávia Tavares Silva Elias

Resumo


A Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) é um campo multidisciplinar de estudo, que busca analisar as implicações clínicas, sociais, éticas e econômicas do desenvolvimento, difusão e uso da tecnologia em saúde. O processo de definição de diretrizes metodológicas em ATS exige a construção de consenso entre um amplo conjunto de experts e tomadores de decisão na elaboração de um documento com robustez científica. No Brasil, a partir de 2008 com a criação da Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (REBRATS), a elaboração de diretrizes em ATS passou a ser realizada por meio de um processo colaborativo no âmbito da rede. Este processo tem contribuído não apenas para a padronização metodológica em ATS, mas também para a estruturação da inteligência avaliativa em rede no Brasil. Este artigo tem por objetivo discutir a estrutura e a dinâmica desta inteligência avaliativa, bem com sua evolução ao longo do tempo.

Palavras-chave


Saúde Pública; Tecnologia Biomédica; Avaliação da Tecnologia Biomédica; Inteligência; Guias como Assunto; Métodos; Normas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v9i4.1026

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil