“Morri para inspirar vocês”: uma análise das narrativas em disputa perpetradas por jovens homicidas/suicidas em ambientes escolares

Flora Daemon

Resumo


Este artigo analisa crimes de homicídio/suicídio cometidos por jovens na circunscrição de instituições de ensino. Nosso foco são os perpetradores que buscam o desenvolvimento de produtos comunicacionais, a partir de linguagens diversas, com o intuito de subsidiar o trabalho de apuração da mídia e, assim, disputar com esta, após a sua morte, o direito de significar midiaticamente. Os jovens homicidas/suicidas se convertem em autores dos delitos e dos discursos na medida em que pretendem fazer resistir suas memórias já na condição de indivíduos mortos. Tal estratégia evidencia um paradoxo: em tempos de grandes investimentos em intervenções que visam à prorrogação da vida, os indivíduos infames utilizam a potência indomesticável da morte para forjar um tipo de existência que passa, necessariamente, pela imagem midiatizada do crime e pelo autoaniquilamento biológico. Este fenômeno é analisado a partir dos crimes de Cho Seung-Hui, Pekka-Eric Auvinen e Wellington Menezes de Oliveira.


Palavras-chave


homicídio/suicídio; midiatização; morte; tiroteio em escolas; violência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v10i4.1021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil