Prevalência de defeitos do esmalte em dentes decíduos de crianças nascidas prematuras

Katia Martins Guerra, Simone Rodrigues dos Santos

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de defeitos de esmalte em dentes decíduos de crianças nascidas prematuras. Foram avaliadas 90 crianças, na faixa etária entre 2 e 6 anos de idade, tendo como critério de inclusão a presença de pelo menos 04 (quatro) dentes decíduos na cavidade bucal. Foi realizado o exame clínico visual, com auxílio de espátula de madeira, sob luz natural, sendo avaliada a presença de alterações no esmalte. Os dados foram tabulados e avaliados no excel. A proporção de defeitos de esmalte foi de 39%, sendo a freqüência de hipocalcificações maior (56%) do que as hipoplasias (44%). Concluiu-se que o fator prematuridade influenciou positivamente na ocorrência de defeitos de esmalte.

Palavras-chave


Defeitos de esmalte; dente decíduo; prematuro.

Texto completo:

PDF PDF EN (English)

Referências


BHASKAR, S. N. Histologia e embriologia oral de orban. 10. ed. São Paulo: Artes Médicas, 1989.

CAIXETA, F. F. et al. Os defeitos do esmalte e a erupção dentária em crianças prematuras. Revista da Associação Medica Brasileira, São Paulo, v.51, n.4, p.195-199, 2005.

FERREIRA, E. M et al. Intubação orotraqueal em bebê prematuro; complicações bucais e dentárias. RGO, v.4, n.51, p.341-34, 2003.

FERRINI, F. R. O.; MARBA, S. T. M.; GAVIÃO, M. B. D. Alterações bucais em crianças prematuras e com baixo peso ao nascer. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v.25, n.1, p.66-71, 2007.

FUNAKOSHI, Y.; KUSHIDA, Y.; HIEDA, T. Dental observations of low birth weight infants. Pediatric Dentistry, v.3, n.1, p.21-25, 1981.

HOFFMANN, R. H. S. et al. Prevalência de defeitos de esmalte e sua relação com cárie dentária nas dentições decídua e permanente, Indaiatuba, São Paulo, Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.23, n.2, p.435-444, 2007.

JOHNSEN, D. et al. Distribution of Enamel Defects and the Association with Respiratory Distress in Very Low Birthweight Infants. Journal of Dentistry Research, v.63, n.1, p.59-64, 1984.

LIMA, M. G. G. C.; DUARTE, R. C. Prevalência dos defeitos do esmalte em crianças com baixo peso ao nascer na faixa etária de 06 a 72 meses na grande João Pessoa. Curitiba: Editora Maio, 1999/2000. CD-ROM.

LUNARDELLI, S. E.; PERES, M. A. Breast-feeding and other mother-child factors associated with developmental enamel defects in the primary teeth of brazilian children. Journal of Dentistry for Children, v.73, n.2, p.70-78, 2006.

MACEDO, L. A. et al. Defeitos de esmalte em dentes decíduos e permanentes em crianças prematuras e em crianças entubadas. Disponível em: www.propp.ufu.br/revistaeletronica/vida2003/defeitos.pdf. Acesso em: 10 out. 2010.

MACHADO, F. C.; RIBEIRO, R. A. Defeitos de esmalte e cárie dentária em crianças prematuras e/ou de baixo peso ao nascimento. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria Clinica Integrada, João Pessoa, v.4, n.3, p.243-247, 2004.

PINKHAM, J. R. Odontopediatria da infância à adolescência. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 1996.

SHAFER, W. G.; HINE, M. K.; LEVY, B. M. Tratado de patologia bucal. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987.

SEGATTO, C.; ANAUATE, G.; BUSCATO, M. No frágil mundo dos prematuros. Época, São Paulo. 21 jul. 2008. Saúde e Bem-Estar, p.104-112.

SEOW, W. K. Effects of preterm birth on oral growth and development, Australian Dental Journal, v.42, n.2, p.85-91, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.3395/reciis.v5i3.564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil